Mamografia Digital - Diagnosis - Centro de Diagnósticos por Imagem

Mamografia Digital

mamografia acessível
mamografia digital

Para que serve a mamografia?

A mamografia é um tipo específico de radiografia das mamas capaz de revelar a existência de sinais precoces do câncer de mama, antes mesmo que as lesões sejam palpáveis. O exame também pode ajudar a verificar a necessidade de tratamentos intensivos para os tumores e na conservação da mama, caso seja necessária uma cirurgia.

O exame de mamografia é realizado com um mamógrafo (aparelho de raio X), onde a mama é comprimida de forma a oferecer imagens de alta qualidade para um melhor diagnóstico. A compressão das mamas é necessária para que o exame seja efetivo, e o eventual desconforto que pode gerar é totalmente suportável.

Por que é melhor realizar a mamografia digital ao invés da convencional?

A mamografia digital, também conhecida como mamografia de alta resolução, é feita da mesma forma que a mamografia convencional, no entanto, é um método mais fiável que guarda imagens no computador, havendo menor risco de danos na imagem e necessidade de repetir o exame.

Já na mamografia convencional, as mulheres com mamas muito firmes ou grandes, em alguns casos não é possível identificar um nódulo do tipo maligno, e por isso as mulheres que se enquadram nesse perfil devem optar pelo exame da mamografia digital, já que neste equipamento fica mais fácil analisar o câncer de mama precocemente, e assim iniciar o mais rápido o tratamento para a cura da doença.

Existe muita dúvida se mulheres com próteses de silicone podem realizar a mamografia. Elas podem fazer o exame normalmente. Porém, isso deve ser avisado ao técnico que realizará a mamografia para que ele modifique os parâmetros do aparelho. Algumas pesquisas comprovam que o silicone pode prejudicar o diagnóstico precoce do câncer de mama em até 30% e com isso, a mamografia digital deve ser realizada para prever um diagnóstico mais preciso.

Existem riscos?

A mamografia não previne o câncer de mama, mas pode salvar vidas, encontrando nódulos e tumores precocemente. O principal risco da mamografia é que ela nem sempre é perfeita, podendo ser imprecisa. Um tecido mamário normal pode esconder um câncer de mama e ele pode não aparecer neste exame.

Além disso, podem ocorrer alarmes falsos, como em casos onde a mamografia identifica uma anormalidade que pode se parecer com um tumor, mas que pode ser somente algo completamente normal. Com isso, a mulher precisa realizar mais exames e acompanhamento médico, o que pode ser estressante.

Por conta desses alarmes falsos, é necessário mais do que a mamografia, como a realização do autoexame da mama e até outros exames, como a ressonância magnética ou ultrassom de mama.

Outro risco que preocupa as mulheres é a exposição à radiação da mamografia. Porém, mamografias mais modernas têm envolvido uma pequena quantidade de radiação, até menor que aquela emitida em uma radiografia de tórax, por exemplo. Ou seja, a dose de risco na mamografia é muito baixa, porém, e para a maioria das mulheres, os benefícios das mamografias regulares superam os riscos colocados por esta quantidade de radiação. Converse com seu médico.

Idade recomendada para o primeiro exame de mamografia

A mamografia digital, assim como a mamografia convencional, só deve ser realizada após os 35 anos de idade em mulheres que possuem mães ou avós com câncer de mama e por todas as mulheres com mais de 40 anos, todos os anos, como exame de rotina.

Não é indicada a realização de uma mamografia antes dos 35 anos de idade porque as mamas ainda estão muito densas e firmes e além de provocarem muita dor o raio-x não consegue penetrar de forma satisfatória no tecido mamário, não podendo evidenciar de forma fidedigna se existe algum cisto ou nódulo na mama. Quando existe suspeita de um nódulo benigno ou maligno na mama o médico deve pedir uma ultrassonografia que será mais confortável e também poderá evidenciar quando um nódulo é maligno e se trata de um câncer de mama.

mamografia-digital

Principais Indicações:

A mamografia é indicada para todas as mulheres acima de 40 anos como exame de rotina para verificar se existe algum nódulo maligno que possa indicar câncer de mama. Assim, a mamografia digital serve para:

  • Identificar lesões benignas na mama;
  • Despistar a existência de câncer da mama;
  • Avaliar o tamanho e tipo de nódulos da mama.

​​O resultado da mamografia deve ser avaliado pelo médico que pediu o exame para que seja identificado o diagnóstico correto e iniciado o tratamento adequado.

ATENÇÃO: Homens também podem ter câncer de mama. Saiba mais!

Preparo para o exame:

  • É necessário agendamento prévio;
  • Chegar com 20 minutos de antecedência;
  • Realizado em qualquer dia do ciclo menstrual. De preferência, logo após a menstruação quando as mamas estão menos sensíveis;
  • Na região das mamas e axilas, evitar o uso de antitranspirantes, perfume, talco, cremes no dia do exame;
  • Trazer exames anteriores de Mamografia, Ultrassonografia de Mamas, biopsias ou punções;
  • Mulheres com atraso menstrual OU incerteza em relação a gravidez, NÃO realizar o exame. Confirmar a ausência de gravidez (esperar a menstruação ou procurar o seu médico);
  • Mulheres com gravidez conhecida: NÃO realizar o exame se não tiver autorização do médico solicitante ‘por escrito’;
  • Se estiver amamentando, é necessário esvaziar as mamas 1 hora antes do exame, devido à compressão local.
cancer de mama em homens

Câncer de Mama em Homens

Embora seja mais raro, não pode ser descartada a hipótese de que homens também podem ser vítimas de câncer de mama. Segundo as estatísticas da literatura médica, para cada 100 mulheres diagnosticadas com câncer de mama pelo menos um homem pode ter um laudo similar. Portanto, essa hipótese não pode ser descartada por completo.

Dessa forma, a mamografia pode também ser usada para a avaliação da mama masculina, seja para verificar um aumento no volume, denominado ginecomastia, ou para a percepção da presença de nódulos palpáveis. No caso dos homens, a indicação para o exame de mamografia deverá partir do médico ao se perceberem sintomas que possam levar ao diagnóstico de algumas dessas possibilidades.