Ultrassom Vascular | Diagnosis Centro de Diagnóstico por Imagem - Ribeirão Preto

Ultrassom Vascular


O ultrassom vascular (Doppler ou Ecodoppler vascular ) é um exame diagnóstico que se utiliza do eco de sons inaudíveis que se refletem nos órgãos e tecidos do corpo humano e permitem a visualização dessas estruturas. O aparelho possibilita ouvir e perceber o funcionamento adequado ou insuficiente do sistema vascular, ou seja, das artérias, veias, válvulas e eventuais refluxos sanguíneos, além de ser, hoje, o mais importante método para diagnosticar e planejar possíveis cirurgias da maior parte das doenças vasculares. Por meio dele, o médico é capaz de avaliar as varizes, as artérias e fornecer o diagnóstico das tromboses (venosas e arteriais).

ultrassom vascularO procedimento de ultrassonografia vascular oferece excelente precisão diagnóstica, é indolor e pode ser repetido inúmeras vezes, já que não possui efeito cumulativo ou colateral. Por isso, este exame é amplamente utilizado por angiologistas, cirurgiões vasculares, cardiologistas, ortopedistas, neurologistas, ginecologistas, dentre outros profissionais, na obtenção de diagnósticos precisos do estado clínico de problemas vasculares localizados, como varizes de membros inferiores, “vasinhos vermelhos”, tromboses, estado da circulação em diabéticos, fumantes, pacientes com antecedentes de doenças vasculares, e diagnósticos de risco de derrame cerebral (ultrassom das carótidas).

Por que realizar o Ultrassom Vascular (Ecodoppler ou Doppler)?

O método Doppler veio revolucionar o diagnóstico das varizes, pois somente com um exame não invasivo, de fácil realização, em aparelho de baixo custo e rápido pode-se “visualizar” o sistema venoso profundo e superficial do membro em tempo real e com alta eficácia de diagnóstico.

O Doppler vascular tornou-se tão útil que, na prática, não se indica mais cirurgia de varizes sem a sua prévia realização, pois com este método podemos não só mapear as veias varicosas visíveis, mas também as veias que não se evidenciam a olho nu e mesmo a localização das veias perfurantes, que serão ligadas na cirurgia. Na prática o aparelho pode ser utilizado até no intraoperatório para visualizar varizes e localização de cateteres em cirurgia endovascular e a laser.

A finalidade deste exame, quando realizado em membros inferiores, incide principalmente sobre o estudo de duas doenças distintas: a insuficiência venosa superficial e/ou profunda e a trombose venosa também superficial e/ou profunda. Este exame permite estudar:

  • A anatomia, sobretudo topográfica, da rede venosa superficial e profunda
  • A direção do fluxo sanguíneo nas veias, importantíssima para o estudo da insuficiência venosa
  • A existência de fluxo retrógrado (em direção oposta à fisiológica – fluxo anterógrado) ou de situações de refluxo (fluxo bidirecional)
  • Num contexto de suspeita de trombose venosa este exame fornece o diagnóstico definitivo e avalia a gravidade da situação

Problemas vasculares mais comuns:

  •     Varizes
  •     Teleangectasias (Vasinhos)
  •     Trombose Venosa
  •     Inchaço
  •     Doença Carotídea
  •     Aneurisma de Aorta

  •     Doença Arterial Obstrutiva
  •     Catéteres
  •     Erisipela e Celulite
  •     Compressão no desfiladeiro torácico
  •     Tromboflebite superficial

Existem riscos?

O ultrassom vascular (Ecodoppler ou Dopller venoso) dos membros inferiores é um exame não invasivo que utiliza os ultrassons de modo a adquirir informações sobre a anatomia, fisiologia e a patologia das artérias e veias do organismo, como carótidas, aorta, renais e artérias e veias dos membros inferiores.

Este exame é fundamental principalmente para os pacientes diabéticos, fumantes ou portadores de vasculopatias, além de ser indolor. O equipamento é portátil e pode ser utilizado de maneira repetitiva, pois não causa nenhum transtorno ao paciente, podendo inclusive ser usado em mulheres grávidas.

Preparo para o exame:

Para este exame não existe preparo específico, entretanto o paciente deve ter alguns cuidados:

  • Se houver ferida no membro a ser estudado, o curativo deve estar limpo e ser o menor possível para que não limite a área a ser examinada. Os curativos não serão retirados durante o exame e o aparelho não será usado em cima da ferida.
  • Não se apresentar para o exame sem roupas íntimas, uma vez que o exame se inicia na região inguinal (“virilha”). A região genital não será exposta.
  • Levar exames anteriores, caso tiver;
  • Chegar 15 minutos antes do horário agendado.